quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

FIGUEIRA DA FOZ...ILUMINAÇÕES DE NATAL

Foto Alda Maria
(Para ver em tamanho total clicar em cima da imagem)

OPINIÃO ...DANIEL SANTOS

Editado no Diário as Beiras

ATÉ AQUI PLENAMENTE DE ACORDO!!!


E QUEM APOIA O GOVERNO NÃO SERÃO AQUELES QUE O DESAPOIARAM?

======

E OS APOIANTES DO GOVERNO NÃO SERÃO AQUELES QUE FORAM ESPOLIADOS PELO ANTERIOR GOVERNO?

========

CONVITE



UM JUDEU FALA COM DEUS AO TELEMOVEL

Judeu: Deus?
Deus: Sim!
Judeu: Posso-lhe fazer uma pergunta?
Deus: Claro, meu filho !
Judeu: O que é um milhão de anos para si?
Deus: Um segundo.
Judeu: E um milhão de dólares?
Deus: Um centavo.
Judeu: Deus, pode-me dar um centavo?
Deus:
Sim, espere só um segundo...

MANCHETES E NOTÍCIAS DO DIA AO MINUTO







NOTÍCIAS AO MINUTO


terça-feira, 6 de dezembro de 2016

FIGUEIRA DA FOZ...ILUMINAÇÕES DE NATAL

Foto Alda Maria
(Para ver em tamanho total clicar em cima da imagem)

TRIBUNAL DE CONTAS ACUSA FINANÇAS( 2013 A 2015) DE "FALTA DE CONTROLO" NA CGD


Num relatório de auditoria sobre o controlo do Setor Empresarial do Estado efetuado pelo Ministério das Finanças entre 2013 e 2015, divulgado hoje, o Tribunal de Contas considera que houve uma "falta de controlo pelo Estado" do banco público nesse período, após a recapitalização de 2012 (no montante de 1.650 milhões de euros).

No documento, o Tribunal de Contas enumera situações em que considera que o Ministério das Finanças, que durante a maior parte daquele período foi tutelado por Maria Luís Albuquerque (no anterior governo PSD/CDS-PP), deveria ter exercido um maior controlo sobre o banco público.

Notícia completa AQUI

A TODO O VAPOR: Sempre ouvi dizer que a verdade é como o azeite vem sempre ao de cima.
O Líder do PSD bombardeia a opinião pública diariamente com a "falta de explicações" do actual Governo sobre a Caixa Geral de Depósitos o que me leva a questionar se quando ele era Primeiro Ministro e a  Dr Albuquerque Ministra das Finanças deram algumas explicações da forma como o Estado controlou o sistema financeiro nomeadamente a CGD o que agora se vem a saber que houve falta de controlo. Isto é a oposição quer em 2016 procedimentos que enquanto Governo não teve.

Mais um flop do (DES)Governo dos Pafiosos a que o Deputado Galamba classifica como "Terrorismo Político"

SANTA MARIA DE SEIÇA UM CONVENTO ABANDONADO

Dr. Manuel Carraco, António Augusto Menano, Drª Isabel Sousa, Dr. José Martins, Dr. António Cabete, Arquiteto António Carlos Albuquerque, Eurico Silva e Maria Rosa Anttonen
Convento de Santa Maria de Seiça,  um convento abandonado...
Figueira da Foz, 03 de Agosto de 2009. Em nota à comunicação social, Maria Rosa Anttonen, coloca duas questões pertinentes.
"Porque foi o Paço de Tavarede completamente recuperado e o Convento completamente abandonado?
Porque houve dinheiro para um e o outro foi completamente esquecido e está em absoluta degradação?"
Na segunda-feira, dia 17 de Agosto de 2009, na sessão de Câmara Municipal, foi entregue um abaixo-assinado no sentido de sensibilizar as autoridades para a necessidade de reconstrução do Convento de Santa Maria de Seiça.
Passados mais de sete anos, "o que há de novo?"
O arquitecto António Carlos Albuquerque transmitiu que o Sr. Presidente da CMFF autorizou a abertura de concurso público para apresentação de propostas para a reabilitação do Convento de Seiça e que a ordem dos Arquitectos tinha aberto no dia 4 de Dezembro o encontro de apresentação de uma candidatura à Ordem do Arquitectos no Convento de Seiça...
Actualização da postagem às 11 e 27 minutos.
Por ter tido conhecimento da posição do arquitecto António Carlos Albuquerque, neste momento, sobre este assunto, passo a publicá-la, com a devida vénia.
"Relativamente a este post cumpre-me esclarecer algumas situações:
O meu nome é António Carlos Albuquerque e sou Engenheiro Civil;
O que afirmei na Tertúlia relativamente ao Dossier do Mosteiro de Seiça foi a Vontade expressa do Senhor Presidente Dr João Ataíde em acelerar o processo com a decisão de mandar efectuar a consulta externa para a Execução do Projecto de Intervenção no Mosteiro de Seiça, de forma a que o Município esteja preparado para aceder a qualquer mecanismo de financiamento que venha a ser permitido no âmbito do Quadro Comunitário ou outro.
Entendo perfeitamente a renovada esperança que esta atitude revela, mas corresponde apenas a isso: vontade do Senhor Presidente em dar passos seguros na concretização do desejo de todos, sem que signifique um compromisso datado ou equivalente. 
Gostei imenso da Tertúlia onde mais uma vez aprendi muito sobre Seiça e o seu Mosteiro e estes esclarecimentos têm tão só a intenção de precisar os termos e o momento em que o Processo se encontra!!! Um Obrigado especial à Associação por me ter convidado e reafirmar o elevado interesse e compromisso de toda a Câmara Municipal no Mosteiro de Santa Maria de Seiça!!!"
Resumindo.
No fundo, a boa nova dada por um técnico municipal, resume-se a uma mão cheia de nada e outra de coisa nenhuma.

É, apenas, isto: "a vontade do Senhor Presidente em dar passos seguros na concretização do desejo de todos, sem que signifique um compromisso datado ou equivalente".



QUEM FALA ASSIM NÃO É GAGO


JOÃO GALAMBA  
DEPUTADO DO PARTIDO SOCIALISTA

MANCHETES DO DIA







NOTÍCIAS AO MINUTO


segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

FIGUEIRA DA FOZ

Foto Marco Cardoso
(Para ver em tamanho total clicar em cima da imagem)

O ÚLTIMO GOLO DO FRAN...


Francisco Cravo Araújo para os amigos o Fran faleceu na última sexta-feira no decorrer de um treino do clube que representava o Grupo Desportivo da Ereira.

As Cerimónias Fúnebres realizam-se amanhã terça-feira na Igreja das Alhadas onde o corpo do malogrado atleta ficará em Camara Ardente a partir das 13: 30, com o funeral a realizar-se pelas 16:00 horas.  

Descansa em paz Fran!!!

O BURRO, PORQUE É BURRO, SÓ FAZ O QUE LHE APETECE...


"O 1.º de Dezembro não é uma data qualquer na história de Portugal. Não se comemora uma mudança de regime ou de sistema político ou o nascimento de um santo ou outra qualquer data importante. Dias, acontecimentos, efemérides que, claro está, devem também ser lembrados e comemorados porque são parte da nossa história, do nosso passado comum. O 1.º de Dezembro é muito mais importante. Comemora-se a restauração da independência nacional. Uma data em que voltamos a tomar o nosso destino nas mãos. Em que, juntos, decidimos arriscar a nossa vida e a dos nossos filhos para sermos donos do nosso futuro. Não é possível conceber uma data na nossa história que tenha mais relevância, mais significado para aquilo que somos enquanto povo.

O que os dirigentes do PSD fizeram ao não estar presentes nas comemorações do 1.º de Dezembro foi preferir fazer uma birrinha politiqueira a respeitar o passado do seu país, a memória de um povo, do seu povo. Não consigo imaginar maior falta de sentido de Estado, maior falta de patriotismo, maior ausência de conhecimento sobre valores fundamentais, maior ignorância sobre o que une uma comunidade e o que lhe dá sentido. Uma mancha vergonhosa na história do partido."

Na crónica de que transcrevi dois excertos, "O 1.º de Dezembro, a memória e a politiquice", Pedro Marques Lopes explica a falta de visão e mais um tiro no pé deste PSD de Passos Coelho.
Embora oficialmente o 1º de Dezembro tenha deixado de ser feriado, por obra e graça de um governo presidido por Passos, Passos não compreendeu em tempo útil, que essa é das tais datas que nunca iriam cair  no esquecimento dos portugueses, pois é uma data que está associada a um dos maiores acontecimentos da História de Portugal: a reconquista da independência em 1640, depois de 60 anos de domínio espanhol
Uma data com este significado merecia continuar a ser assinalada em celebrações oficiais. E António Costa, percebeu que a memória dos feitos que forjaram, ao longo dos séculos, a identidade e o futuro de Portugal entre as outras nações europeias, é uma memória que deve continuar a ser comemorada a nível de Estado. Por isso restabeleceu a comemoração oficial deste feriado.

Passos tinha obrigação de saber, que reconquistar a liberdade, para os conjurados do 1º de Dezembro de 1640, foi um acto patriótico, cheio de abnegação e de fé, em que empenharam a vida, a família, os bens e a honra, uma missão cujos lances eram incertos e arriscados, pois nem o rei que queriam pôr no trono, o Duque de Bragança, lhes prometera lealdade absoluta. Que tal como o Mestre de Avis, quando entrou no paço da rainha para matar o conde Andeiro, também eles não hesitaram em invadir o palácio da Duquesa de Mântua, dar-lhe voz de prisão e atirar por uma janela o traidor Miguel de Vasconcelos. 
O futuro estava traçado e o preço da nova liberdade custaria a Portugal, como no tempo de D. João I, um duro esforço de guerra, até finalmente os tercios filipinos regressarem à fronteira de Badajoz, vergados sob o peso da derrota, e outros estados europeus, incluindo o Vaticano, esquecerem as suas alianças com Espanha, reconhecendo como legítima a subida ao trono de D. João IV.
É por isto, que a ausência do PSD nas comemorações do 1.º de Dezembro, em 2016, não pode ser vista como mais um fait divers político.

A ausência do PSD das comemorações do Dia da Restauração, em 2016, é  uma falha gravíssima, uma atitude que envergonha quem a cometeu, mas também quem votou no PSD, quem já tenha votado e, no fundo, todos os portugueses.

FESTIVAL E DESFILE DE BANDAS NA PRAÇA VERMELHA


ESPECTÁCULO IMPERDÍVEL

POESIA ALENTEJANA..."A PRIMÊRA VEZ"


MANCHETES DO DIA







NOTÍCIAS AO MINUTO


domingo, 4 de dezembro de 2016

FIGUEIRA DA FOZ

Foto Agostinho Gonçalves
(Para ver em tamanho total clicar em cima da imagem)


CARTAZ DESPORTIVO

Cartaz Desportivo 2 a 5 de Dezembro 2016

Confira os principais resultados desportivos do fim de semana, nomeadamente  onde participam equipas do concelho da Figueira da Foz



PS: Este espaço está aberto a todos os clubes que queiram aqui ver os seus resultados dos jogos de fim de Semana.
Basta enviarem um email para: marchadovapor@gmail.com e os seus resultados serão publicados.

NAVAL UM BANQUETE PARA QUEM A DEFRONTA


Costuma dizer-se que não existem vencedores antecipados, todavia salvo uma ou outra exceção (rara) os adversários da Naval vão-se banqueteando quando defrontam a turma figueirense.

Hoje em Cantanhede mais um conjunto de “coisas” que não podem acontecer a este nível e que nada abonam ao nome ou prestígio da Naval.

E o resultado ficou à vista, uma derrota por 3-1 e o pior de tudo é que nos fica a sensação que cada dia que passa as coisas vão ficando piores, e se assiste de forma impiedosa a uma situação que dará inevitavelmente em doença terminal

Não queremos ser “advogados do diabo” mas é necessária uma dose de coragem para quem de direito assuma de uma vez por todas que as coisas não podem continuar a funcionar desta maneira.

Quanto ao jogo o Sertanense chegou à vantagem sem precisar de fazer muito ao minuto 15. A Naval tardou a reagir e apenas abordou a baliza forasteira em duas ocasiões, uma bola parada que saiu a rasar o travessão e um lance confuso na área em que os figueirenses reclamam penalti

Na etapa complementar sem surpresa o Sertanense chegou ao 2-0 e aí tudo parecia arrumado. Assim não aconteceu e o sonho de dar a volta aos acontecimentos aconteceu mas por breves minutos.


Aos 78 minutos a Naval reabriu o jogo marcando por Samba e fez acreditar que as coisas podiam mudar. O sonho durou sete minutos e curiosamente no melhor período da Naval em que os figueirenses se balancearam no ataque á procura do empate e o Sertanense aproveitou para desferir contra ataque letal sentenciando a partida com a marcação do golo (3-1) que fecharia o marcador.