sexta-feira, 26 de agosto de 2016

FIGUEIRA DA FOZ

 Foto José Alberto Ferreira
(Para ver em tamanho total clicar em cima da imagem)

AGENDA DESPORTIVA FIM DE SEMANA

CAMPO DE TREINOS DO ESTADIO MUNICIPAL JOSÉ BENTO PESSOA

SÁBADO - 17 HORAS
CAMPEONATO NACIONAL I DIVISÃO JUNIORES
4ª JORNADA
NAVAL – OEIRAS
===
DOMINGO

CAMPEONATO NACIONAL INICIADOS
11 HORAS - 1ª JORNADA
NAVAL - VISEU BENFICA

===

ATÉ NO BRASIL JÁ SE COMEÇA A DENEGRIR O NOME DA FIGUEIRA DA FOZ

AZEITES DECEPCIONAM NOVAMENTE EM TESTE DA  PROTESTE
É pedida a retirada do mercado de 8 dos 20 extravirgem testados, por fraude contra o consumidor, ou classificação errada, diferente da indicada no rótulo

Pela quinta vez a PROTESTE Associação de Consumidores testou azeites. E novamente os resultados decepcionam: apesar de todas as nossas denúncias, ainda há fabricantes colocando nas prateleiras produtos adulterados. Ou seja, esse alimento tão importante à saúde continua sendo fraudado. De 20 testados 4 foram eliminados, e outros 4 não são indicados para compra.

Em quatro marcas haviam indícios de outros óleos vegetais adicionados, ao invés de apenas a gordura proveniente da azeitona, colocando em risco uma das propriedades primordiais do azeite: favorecer a saúde. A PROTESTE pediu a retirada dos produtos do mercado.

São reincidentes os fabricantes dos azeites Figueira da Foz, Tradição e Quinta d`Aldeia que parecem pouco se importar com o consumidor. Essas mesmas marcas haviam sido denunciadas em 2013, por conta da mesma irregularidade apontada agora. A eles se juntou o Pramesa, que no último teste não havia sido eliminado. Estes produtos foram eliminados do teste após a análise em laboratório comprovar adulteração, com adição de outros óleos vegetais, o que não é permitido por lei.

Embora tragam a palavra extravirgem na embalagem, os azeites da Qualitá, Beirão, Carrefour Discount e Filippo Berio foram apontados como virgens na análise sensorial. Isso significa que, na hora da compra, você paga mais caro por um extravirgem, mas leva um produto diferente para casa. Segundo essa avaliação, 7 marcas não poderiam ser classificadas como extravirgens: quatro são virgens (Qualitá, Beirão, Carrefour Discount, Filippo Berio), e três lampantes (adequados somente para uso industrial devido à alta acidez): Figueira da Foz, Tradição e Quinta D’Aldeia.

Diante desses dois problemas, alguns fabricantes estão cometendo crime de consumo, já que infringem o Código de Defesa do Consumidor e outras legislações. Apesar desses problemas, também há boas notícias no novo teste: 5 marcas que haviam sido avaliadas como virgens, em 2013, agora apresentaram um azeite melhor, de fato extravirgem. Foram os casos de La Española, Carbonell, Serrata, Gallo e Borges.

O produto mais bem avaliado, em nosso teste, foi o Cocinero, indicado como autêntico azeite extravirgem, que apresentou excelente qualidade, apesar de sua embalagem de plástico (garrafas de vidro escuro tendem a conservar melhor o alimento). Além disso, obteve o melhor custo-benefício entre os produtos analisados. O ponto negativo é o rótulo que precisa de adequações, uma vez que não informa a data de envase do produto.

CAMINHADA SOLIDÁRIA

A Make a Wish, filiada portuguesa da Make a Wish International, tem como principal objectivo realizar sonhos e desejos a crianças e jovens, entre os 3 e os 18 anos, que sofrem de doenças que colocam em risco as suas vidas, proporcionando-lhes, assim, um momento de alegria e esperança.

Domingo, dia 28 de agosto, pelas 9h00, decorrerá a Caminhada Solidária organizada pela Make a Wish, com o apoio do Leo Clube da Figueira da Foz - Foz do Mondego. O valor da inscrição é de 5,00€ para adultos e 2,00€ para crianças, sendo que este reverte na sua totalidade para a Fundação Make a Wish.

O evento, com concentração junto à Torre do Relógio, contará ainda com uma aula de zumba e uma aula de relaxamento/alongamentos, antes e depois da caminhada pela marginal da Figueira da Foz.



OPINIÃO...DANIEL SANTOS

EDITADO NO DIÁRIO AS BEIRAS

QUANDO É QUE BRUXELAS CRIA PROCEDIMENTOS PARA ACABAR COM ESTA POUCA VERGONHA?


O Estado Português está a ser ROUBADO em mais de 500 milhões de euros pela Holanda que aceita as falsas sedes das grandes empresas portuguesas do PSI 20. Segundo o jornal Negócios, no final de 2015 foram distribuídos dividendos das empresas cotadas na bolsa - apenas 18 - no valor de 2,23 mil milhões de euros, dos quais dez grupo----- s empresariais nacionais e estrangeiros levaram mais de metade. Cerca de 2/3 desse montante não pagou a taxa liberatória portuguesa de 28%, mas apenas... a holandesa de 5%.

A família que mais recebeu foi a dona da Sociedade Francisco Manuel dos Santos que detém 56,1% do grupo Jerónimo Martins com sede na Holanda que terá recebido 461,7 milhões de euros, roubando ao Fisco 129,27 milhões de euros. E o Soares dos Santos ainda tem a lata de vir para a televisão e jornais dar lições aos governos.

A EDP vai distribuir aos acionistas chineses, americanos e espanhóis 670 milhões de euros. Só a "China Three Gorges" vai receber 144 milhões e a Guoxin chinesa 20,4 milhões de euros sem pagar impostos. Consta que a EDP está a pagar aos patrões dividendos superiores ao lucro real, reduzindo as suas reservas e contraindo empréstimos para tal.  É o ASSALTO a Portugal.

O Queiroz Pereira recebeu 208 milhões pela posição de 64,84% na Semapa através da empresa holandesa que controla. Não sei para que quer ele esse dinheiro.
 
A falsa empresa holandesa Efanor do Belmiro de Azevedo e filho vai receber 50 milhões sem pagar um cêntimo à Pátria dos portugueses que não é a dos donos da Sonae/Continente. Para esses, Pátria, Deus e Família é o DINHEIRO.
 
O Amorim recebeu na Holanda mais de 120 milhões de euros, resultantes da posição de 55% que tem na Amorim Energia que é dona de 33,84% da Galp e da sua posição maioritária na Corticeira Amorim.
 
Por causa de um ordenado mínimo de 535 euros, andam a clamar que não podem pagar, mas distribuem-se a si mais de 2 mil milhões de euros.
 
Para completar a obra destes FdP, o défice de 2015 vai ficar em 4,3% do PIB devido à perda de 1,4% do PIB com a falência do Banco BANIF.
 
Curiosamente, a taxa liberatória holandesa é de quase 50% para os dividendos resultantes de atividades na Holanda e de 5% para os das falsas sedes estrangeiras.
 
A taxa portuguesa é das mais baixas da Europa e não é proporcional. Assim, um taxista que apurou um lucro anual de 5 mil euros paga 28%, ou seja, 1.400 euros, enquanto um milionário que recebe 100 milhões de euros em dividendos paga os mesmos 28% de taxa em sede de IRS sem acumular com outros rendimentos como ordenados de administradores, rendas de casas alugadas, etc.
 
Quando é que a procuradora geral da República Joana Marques Vidal manda investigar os magnatas que possuem falsas sedes na Holanda.
 
Tudo o que é falso é crime, seja uma fatura, a cópia de uma marca ou uma sede no estrangeiro onde ninguém está a administrar seja o que for.

* Dieter Dillinger é o pseudónimo dum jornalista independente alemão, editor, autor de novelas criminais e investigador privado. 



APROVEITAR AS MEDIDAS RECENTES PARA VER O QUE ELE DIZ


MANCHETES E NOTÍCIAS DO DIA AO MINUTO








NOTÍCIAS AO MINUTO



quinta-feira, 25 de agosto de 2016

FIGUEIRA DA FOZ

Foto Pedro Mota
(Para ver em tamanho total clicar em cima da imagem)

OITO ANOS... SERÁ QUE JÁ SOMOS ADULTOS?


***************************
*******************
************


Marcha do Vapor completa hoje oito anos. Iniciámos este projecto em regime experimental, queríamos ser uma opinião na vida da cidade que nos viu nascer e tanto amamos,  as expectativas superaram tudo e hoje com orgulho julgamos pelo numero de visitas que atingimos, 
1 082 152 que somos um projecto consolidado.

As estatisticas valem o que valem, contudo foram editados  14 319 posts e recebemos 14 108 comentários.

São oito anos de muitas alegrias que superam largamente algumas decepções, porém, palavras de incentivo têm sido muitas e entre essas aquelas  que vêm de figueirenses que residem e labutam no estrangeiro e que me dizem a primeira coisa que faço quando chego a casa é ir ao Marcha do Vapor .

Sei que não posso agradar a todos, mas há coisas que não se mudam e os principios deste Blog mantém-se

Marcha do Vapor" é um "blog" de opinião, crítica, humor, boas e más disposições. Quem pretender servir-se deste espaço para insultar, ofender, caluniar ou instigar á violência, não se dê a esse trabalho, os comentários não serão publicados" 

As dificuldades vão-se avolumando, queremos e desejamos continuar sem atraiçoar os principios que sempre nos nortearam, vamos dia a dia editando o que nos parece ser de mais relevante. A todos que nos têm apoiado, a todos os que nos visitam, a todos onde por vezes vamos beber, muito obrigado pela vossa preferência, pelas vossas palavras de incentivo e pelo amor que dedicam a esta cidade maravilhosa que a todos serviu de berço.

VIVA A FIGUEIRA DA FOZ

Rogério Neves

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

FIGUEIRA DA FOZ

Foto José Alberto Ferreira
(Para ver em tamanho total clicar em cima da imagem)

Manuel Fernandes Tomás... Patriarca da Liberdade

Para aumentar o zoom clicar em cima da imagem
Nasceu na Figueira da Foz, em 30 de Junho de 1771, e
faleceu em Lisboa em 19 de Novembro de 1822.

De família burguesa, bacharelou-se em Direito em 1791, tendo ingressado na magistratura em 1801, sendo o seu primeiro cargo o de Juiz de Fora de Arganil.

Em 1805 é Superintendente das Alfândegas e dos Tabacos das comarcas de Aveiro. Coimbra e Leiria, o que é actualmente considerado a Beira Litoral, e durante as invasões francesas deu uma valiosa colaboração ao exército aliado, no serviço de abastecimentos, enquanto Deputado-Comissário do Exército português, cargo que acumulou com o provedor da comarca de Coimbra.

Em 1811 foi nomeado desembargador da Relação do Porto, posto que ocupará somente em 1817. Criador em 1818 do Sinédrio, com Ferreira Borges, Silva Carvalho e Ferreira Viana, é o motor do movimento de 24 de Agosto de 1820.

Figura primacial do liberalismo vintista, fez parte da Junta Provisional do Governo Supremo do Reino, criada no Porto, que administrou o Reino. após a revolução liberal, sendo encarregue dos negócios do Reino e da Fazenda.

Eleito deputado às Cortes Constituintes, pela Beira, elaborou as bases da Constituição que D. João VI jurou em 1821.

Publicou o Repertorio Geral, ou Indice Alphabetico das Leis Extravagantes do Reino de Portugal, impresso pela Universidade de Coimbra, entre 1815 e 1819.

Fonte: Joel Serrão (dir.)

ANA MACHADO...UMA HISTÓRIA DE VIDA

DIPLOMACIA IRAQUIANA TRABALHA BEM

A FOTO DA ESQUERDA FOI ENVIADA À COMUNICAÇÃO SOCIAL PELA EMBAIXADA DO IRAQUE

A FOTA DA DIREITA RESULTA DA ENTREVISTA DOS MANOS "BEM COMPORTADOS" NA S I C

DESCUBRAM A DIFERENÇA
========

MANCHETES E NOTÍCIAS DO DIA AO MINUTO







NOTÍCIAS AO MINUTO


terça-feira, 23 de agosto de 2016

FIGUEIRA DA FOZ

Foto José Alberto Ferreira
(Para ver em tamanho total clicar em cima da imagem)

SE AGIRAM EM LEGÍTIMA DEFESA PORQUE NÃO APRESENTARAM QUEIXA?


MAS AFINAL QUE MAL FEZ O CUSTÓDIO ?


"EMPRESÁRIOS À PORTUGUESA", NUM PAÍS ONDE A FALTA DE VERGONHA NÃO TEM LIMITES...


Algumas empresas estão a exigir aos estagiários que participam em programas de estágio do IEFP (Instituto do Emprego e Formação Profissional) que devolvam parte dos seus rendimentos, escreve esta segunda-feira o Jornal de Notícias
Dos 691 euros que um estagiário com licenciatura recebe por mês, entre 20 e 35% é financiado pela empresa em que é feito o estágio, sendo o restante suportado pelo IEFP. É essa percentagem financiada pela empresa que os patrões estarão a exigir de volta. Alguns estagiários estarão também a ser forçados a suportar a taxa social única (TSU), de 23,75% sobre a bolsa de estágio, e que é da responsabilidade do empregador.

A denúncia partiu do presidente do Conselho Nacional da Juventude (CNJ), Hugo Carvalho. 
Têm chegado ao nosso conhecimento inúmeras denúncias ao longo do tempo, mas não podemos fazer nada. Os jovens não querem avançar com queixas junto das autoridades, porque agem em conluio com as empresas e sabem que eles próprios estão a cometer uma ilegalidade”, disse o responsável ao Jornal de Notícias
Estes casos são mais frequentes na arquitectura, no pequeno comércio, na advocacia e na psicologia, de acordo com o jornal. O presidente do Conselho Nacional da Juventude acrescentou ainda que os jovens“actualmente já nem têm consciência de que o que estão a fazer é errado, porque todos o fazem no final do curso, como forma de ingresso no seu sector profissional”.

DEZ D'AGOSTO REALIZA II GALA